Monthly Archives: abril 2013

Respostas para as perguntas mais comum sobre ar condicionado automotivo

loira ar

Está sentindo calor dentro do carro usar o aparelho de ar-condicionado automotivo é a solução!

O verão já acabou e mesmo assim muita gente vai precisar do ar condicionado automotivo para suportar o calor dentro do carro.
Mas o uso do equipamento ar condicionado automotivo requer alguns cuidados especiais para melhor aproveitar o seu potencial e evitar desgaste desnecessário de combustível.

É aconselhável quando o carro está muito quente, ligar o ar e deixar uns dois dedos do vidro aberto por alguns minutos, para que o ar quente saia de dentro do veículo.
Quando o carro estiver com a temperatura interna muito alta, o ideal é abrir os vidros e andar com o carro, já com o ar ligado, para ocorrer a troca de ar interna. Depois de alguns minutos ative a recirculação do ar interno do ar condicionado automotivo e feche os vidros.

ar bonito
Desse modo é possível obter a queda da temperatura interna mais rapidamente.
A maioria dos carros equipados com ar-condicionado automotivo possui um filtro que retém impurezas vindas do ar externo. Esse filtro deve ser trocado a cada seis meses. Não tem como limpar, só a substituição pode ser feita para manter a qualidade do ar liberado pelo ar condicionado automotivo.
Essa troca é fácil de ser realizada, porém, sempre é bom verificar se o sistema de ar condicionado automotivo está em ordem e se o nível do gás refrigerante está correto. Assim, o mais adequado é levar em uma oficina mecânica especializada para fazer esse serviço.

mecanico arrumando

O ar-condicionado automotivo é um equipamento em que a instalação não é recomendada fora da fábrica pois pode ocasionar diversas adaptações que com o tempo comprometem algum componente ou mesmo a durabilidade do equipamento de ar condicionado automotivo.
O mais comum é a infiltração de água no interior do veiculo, além de problemas elétricos, já que conforme a adaptação, mesmo em concessionárias, pode ser utilizada peça paralela. Um bom exemplo é a correia do alternador, que também vai girar o compressor. Em algumas instalações fora da fábrica, a correia utilizada patina e não aciona adequadamente o alternador, que por conseqüência não carrega a bateria corretamente. O final disso tudo é que o motorista pode ficar na mão.
Para resolver seu problemas de odores desagradáveis,  adote o habito de desligar o aparelho de ar condicionado automotivo antes de chegar ao seu destino e de preferência mantenha a ventilação ligada. Isso serve se ficar parado algumas horas. Se for deixar o carro parado por um tempo maior, dias ou semanas, coloque a temperatura no mais quente e deixe ligado por alguns segundos, antes de encostar o automóvel. Se mesmo assim, ao ligar o ar perceber o odor, coloque no quente e deixe ligado por instantes antes de colocar no frio.

O uso do ar-condicionado automotivo aumenta sim o consumo de combustível. Mas esse consumo é maior quando o ar condicionado automotivo é utilizado em velocidades inferiores a 70 km/h, se comparado a utilização do carro com vidros abertos.
Acima disso, o consumo com o ar ligado e vidros fechados tende a ser menor em razão do atrito aerodinâmico que os vidros abertos criam. Ou seja, para rodar na estrada o ar-condicionado automotivo ligado tende a ser mais econômico. Já na cidade, o uso do aparelho de ar condicionado automotivo é mais indicado, principalmente nas grandes cidades, em razão da segurança. Além, é claro, do conforto proporcionado.

carro azul

Na verdade não é uso do ar-condicionado automotivo que não deve ser prolongado, mas sim a recirculação do ar. O aparelho de ar condicionado pode ficar ligado constantemente, porém, o ar precisa ser renovado periodicamente para não ficar viciado, o que pode causar mal-estar nos ocupantes. Desse modo, mesmo trafegando na cidade, procure vez ou outra liberar a entrada de ar externo, a fim de renovar o ar liberado pelo ar condicionado automotivo.

Achar que não se deve ligar o carro com o ar-condicionado ligado por força o sistema e acabar causando a queima do compressor de ar é uma duvida comum mas que parte de uma informação antiga, que vem da época dos primeiros automóveis equipados com ar-condicionado automotivo.
Atualmente não tem problema algum dar partida no carro com o aparelho de ar condicionado ligado, já que os veículos modernos possuem sensores que ativam e desativam o sistema de ar condicionado automotivo em diversas condições.

 

Um pouca da história e utilização do ar condicionado automotivo

O uso do ar-condicionado automotivo, comum nos dias de hoje completou 70 anos recentemente.

O primeiro automóvel a oferecer o equipamento como opcional foi o Packard 1939, fabricado nos Estados Unidos e o primeiro carro a sair com o ar condicionado automotivo das montadoras
foi um Pontiac em 1954.
A principio o ar condicionado automotivo não era muito prático, ocupava todo o porta malas do carro e não tinha regulagem de temperatura. caso esfriasse demais, a única opção do motorista era desligá-lo.


Logo de inicio o alto preço assustava os consumidores, era equivalente a um quarto do valor que custava o carro.
Com o desenvolvimento tecnológico e o aumento circunstancial do consumo hoje o valor do ar condicionado automotivo gira em torno de 6 a 8% no país
O princípio de funcionamento dos condicionadores de ar, nada mais é do que a troca de temperatura do ambiente interno pelo externo.
O sistema de ar condicionado automotivo é a combinação dos equipamentos do conjunto através da mudança de posicionamento de “portinholas” de direcionamento de ar, acionamento de
eletro válvulas e ou sinais elétricos para determinados componentes do painel de comando e atuadores. Para obtermos a condição mais adequada de conforto dentro do veículo tanto no inverno como no verão com ar totalmente frio, morno ou aquecido.
O condicionamento do ar condicionado automotivo é o processo que regula, artificialmente, a temperatura e fluxo de ar e umidade, proporcionando um ambiente agradável
aos seus usuários a um nível desejado.
A função do sistema de ar condicionado automotivo é de manter o ambiente do carro em condição confortável de temperatura para os passageiros, mesmo que as condições do lado externo do veículo sejam desfavoráveis, muito quente ou muito frio.

A refrigeração é possível graças às mudanças de estado do refrigerante, ora em estado líquido alta pressão, ora gasoso baixa pressão.
Quando muda do estado líquido para o gasoso, processo esse chamado de evaporação, absorve o calor do ar dentro do habitáculo, superaquecendo o gás refrigerante.
Se for o inverso, ao passar do estado gasoso para o líquido, o refrigerante perde calor na parte externa do veículo, processo chamado de condensação, onde o gás refrigerante recebe
super-resfriamento. Ou seja, perde o calor absorvido no evaporador.
Ao alcançar a temperatura desejada o ar condicionado automotivo faz leitura através de um sensor localizado no evaporador que este por sua vez desliga o compressor, fazendo com que o equipamento mantenha a temperatura de conforto humano por algum tempo, qualquer variação nessa temperatura automaticamente aciona o compressor novamente.

Alongamento no transito, uma importante medida para reduzir o estresse no transito

homem se alongando c carro

Um problema que a cada dia vem tomando proporções cada vez maiores nas grandes cidades é o congestionamentos, um dos maiores causadores de estresse na atualidade,e o que complica a situação e que eles são inevitáveis.

Especialistas apontam como tempo ideal para permanecer no veículo é de no máximo 50 minutos por dia, o que é quase impossível já que as vezes demoramos mais tempo até para chegar até o trabalho e quando o carro quebra e não tem nenhuma oficina mecânica por perto ai um dia inteiro é pouco.

corpo c dor musculos

Quando ultrapassado esse limite os principais déficits para o organismo estão relacionados aos músculos e aos ossos que vão se desgastando pouco a pouco

Pesquisas recentes dizem que o tempo que passamos diariamente no transito lento provoca dores crônicas na coluna e nas articulações, piora varizes e agrava os efeitos do sedentarismo.

Para minimizar esse problema o ideal é o alongamento mas como nem sempre é possível sair do carro para se alongar,ortopedistas do Hospital São Luiz, sugerem 10 medidas que você pode tomar antes de dirigir e durante o congestionamento para prevenir ou melhor o bom funcionamento dos ossos e músculos.

homem em carro imaginario

Quando estiver se preparando para dirigir.

- Usar uma almofada pequena para apoiar a coluna lombar, principalmente se o encosto do carro não tiver regulagem para essa parte do corpo.

-procure não deixar a cabeça muito abaixada e muito para trás de vez em quando relaxe seu pescoço balançando o para os lados.

- É importante segurar o volante com os braços levemente flexionados. Relaxe os ombros. para a musculatura do pescoço não fica tensionada.

-Sempre apoiar os calcanhares no assoalho do veículo, evitando a sobrecarga da coluna lombar, os joelhos devem estar no nível dos quadris ou acima.

- Ajuste o banco de modo que, mesmo quando estiver pressionando os pedais, os joelhos continuem um pouco flexionados.

_ para melhor climatização do carro aumentando sua sensação de bem estar um item essencial é o ar condicionado automotivo

lombar

Quando o trânsito parado

- Procure esticar e flexionar os pés e os tornozelos, para melhorar a circulação.

- Puxe o joelho em direção ao tórax, ao lado do volante. Massageie a musculatura da batata da perna, das coxas e do quadril, isso já aumentar sua sensação de bem-estar.

- Eleve os braços, por trás da cabeça, alongue assim ombros e cotovelos, lembre se de flexionar os punhos.

- Para alongar a musculatura que sustenta vértebras que é um pouco mais complicado, projete-se para frente, como se estivesse abraçando o volante.
Outra dica muito importante para se evitar maiores tensões no transito e manter a revisão de seu carro sempre em dia em um centro automotivo de confiança para que seu veículo esteja sempre em dia!