Um pouca da história e utilização do ar condicionado automotivo

O uso do ar-condicionado automotivo, comum nos dias de hoje completou 70 anos recentemente.

O primeiro automóvel a oferecer o equipamento como opcional foi o Packard 1939, fabricado nos Estados Unidos e o primeiro carro a sair com o ar condicionado automotivo das montadoras
foi um Pontiac em 1954.
A principio o ar condicionado automotivo não era muito prático, ocupava todo o porta malas do carro e não tinha regulagem de temperatura. caso esfriasse demais, a única opção do motorista era desligá-lo.


Logo de inicio o alto preço assustava os consumidores, era equivalente a um quarto do valor que custava o carro.
Com o desenvolvimento tecnológico e o aumento circunstancial do consumo hoje o valor do ar condicionado automotivo gira em torno de 6 a 8% no país
O princípio de funcionamento dos condicionadores de ar, nada mais é do que a troca de temperatura do ambiente interno pelo externo.
O sistema de ar condicionado automotivo é a combinação dos equipamentos do conjunto através da mudança de posicionamento de “portinholas” de direcionamento de ar, acionamento de
eletro válvulas e ou sinais elétricos para determinados componentes do painel de comando e atuadores. Para obtermos a condição mais adequada de conforto dentro do veículo tanto no inverno como no verão com ar totalmente frio, morno ou aquecido.
O condicionamento do ar condicionado automotivo é o processo que regula, artificialmente, a temperatura e fluxo de ar e umidade, proporcionando um ambiente agradável
aos seus usuários a um nível desejado.
A função do sistema de ar condicionado automotivo é de manter o ambiente do carro em condição confortável de temperatura para os passageiros, mesmo que as condições do lado externo do veículo sejam desfavoráveis, muito quente ou muito frio.

A refrigeração é possível graças às mudanças de estado do refrigerante, ora em estado líquido alta pressão, ora gasoso baixa pressão.
Quando muda do estado líquido para o gasoso, processo esse chamado de evaporação, absorve o calor do ar dentro do habitáculo, superaquecendo o gás refrigerante.
Se for o inverso, ao passar do estado gasoso para o líquido, o refrigerante perde calor na parte externa do veículo, processo chamado de condensação, onde o gás refrigerante recebe
super-resfriamento. Ou seja, perde o calor absorvido no evaporador.
Ao alcançar a temperatura desejada o ar condicionado automotivo faz leitura através de um sensor localizado no evaporador que este por sua vez desliga o compressor, fazendo com que o equipamento mantenha a temperatura de conforto humano por algum tempo, qualquer variação nessa temperatura automaticamente aciona o compressor novamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>